EDUCAÇÃO DIVERSIDADE / AFRICANIDADE

A temática da Pluralidade Cultural diz respeito ao conhecimento e à valorização das características étnicas e culturais dos diferentes grupos sociais que convivem no território nacional, às desigualdades socioeconômicas e à crítica às relações sociais discriminatórias e excludentes que permeiam a sociedade brasileira, oferecendo ao aluno a possibilidade de conhecer o Brasil como um país complexo, multifacetado e algumas vezes paradoxal.

Este tema propõe uma concepção da sociedade brasileira que busca explicitar a diversidade étnica e cultural que a compõe, compreender suas relações, marcadas por desigualdades socioeconômicas, e apontar transformações necessárias. Considerar a diversidade não significa negar a existência de características comuns, nem a possibilidade de constituirmos uma nação, ou mesmo a existência de uma dimensão universal do ser humano. Pluralidade Cultural quer dizer a afirmação da diversidade como traço fundamental na construção de uma identidade nacional que se põe e repõe permanentemente, e o fato de que a humanidade de todos se manifesta em formas concretas e de ser humano.

Por trabalhar com a diversidade humana, comporta uma ampliação de horizontes para o professor e para o aluno, uma abertura para a consciência de que a realidade em que vivem é apenas parte de um mundo complexo, fascinante e desafiador, na qual o elemento universal subjacente e definidor das relações intersociais e interpessoais deve ser a Ética. Propicia, ainda, a percepção de que essa característica sociocultural é expressão de uma pluralidade dinâmica para além das fronteiras do Brasil, a qual tem sido benéfica e estimuladora na definição de valores universais.

  • PCN – Pluraridade Cultural

 

 

OBJETIVO

Incentivar os alunos sobre a importância das contribuições das diferentes culturas e etnias para a formação do povo brasileiro (indígena, africana e europeia) valorizando a cultura, dentro do ambiente escolar e também na sociedade.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:  

  • Pesquisar diferentes culturas da comunidade;
  • Trabalhar interação entre família e escola;
  • Possibilitar a construção da valorização das diferentes culturas que existem no Brasil;
  • Trabalhar a autoestima nos alunos para que estes possam relacionar-se com o outro;
  • Desenvolver uma imagem de si, atuando de forma mais independente, com confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações;
  • Estabelecer vínculos afetivos e de troca com adultos e seus pares fortalecendo sua autoestima e ampliando suas possibilidades de comunicação e interação social;
  • Estimular o respeito às regras sociais e de convivência com o outro;
  • Estimular o respeito às diversas culturas e ao próximo.
  • Promover ambiente de respeito na escola, para que a diferença não seja tratada na óptica da exclusão, do desrespeito e da violência.
  • Desenvolver, a partir dos conteúdos ministrados a respeito de GÊNERO, SEXUALIDADE e RAÇA, atividades que primem pela equidade, respeito e valorização dos seres humanos.
  • Desenvolver atividades a respeito das leis 10.639/2003 e 11.645/20081
  • Promover estudos a respeito de bullying, como forma de orientar os/as alunos/as diante dessas práticas de violência e, ao mesmo tempo, contribuir para que ele/ela possa diferenciar o bullying do sexismo, da misoginia, do racismo e da homofobia.
  • Envolver alunos/as, funcionários/as e famílias/comunidade em discussões/eventos a respeito da diversidade e seus dilemas, buscando sempre a transformação da escola em um lugar da liberdade, do respeito e da boa convivência, sem que se interfira nas diferenças, porém com foco nas desigualdades.
  • Lutar contra o preconceito institucionalizado que se apodera da rede de ensino da qual fazemos parte, compartilhando experiências, contribuindo com a criação de projetos, seminários, palestras, com o intuito de fortalecer o discurso voltado à diversidade.
  • Desenvolver atividades a respeito da Lei Maria da Penha (Lei Nº 11.340/2006), atendendo a Recomendação Nº 2/2013 – CEDF2